Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma divorciada

Diário de uma divorciada

Testemunhos: VII

Antes de mais queria dar os parabéns a autora do blog, está muito bem conseguido. Gosto da forma como escreve e aborda os temas. No entanto não encontrei por aqui muita coisa sobre um tema que deverá estar directa ou indirectamente na origem de mais de 50% dos divórcios: SEXO.

Tenho 38 anos, sou casado quase há 14 anos mais 5 de namoro. Diria que o meu casamento já teve dias bem melhores, nesta altura o amor que o mantém é o amor que eu sinto pelo meu filho e do qual não pretendo abdicar, ele precisa de mim e eu preciso dele.

As mulheres costumam dizer que sonham encontrar o seu príncipe encantado, não concordo, o que pretendem encontrar é na realidade o seu Príncipe Leão.
Um príncipe que seja um Leão na cama (esta faceta só é importante durante o namoro, no casamento pode tornar-se mesmo num sério inconveniente).
Um príncipe que seja um Leão a ganhar dinheiro para sustentar a família e os luxos da sua companheira.
Um príncipe que seja um Leão exterior de masculinidade para fazer inveja às suas amigas.
Um príncipe Leão porque os leões podem ser domados e os príncipes não.

Há mas íamos falar de sexo. Lá vai.

Já todos vimos no circo que os domadores conseguem domar a pior das feras apenas com um chicote, uns pedaços de carne e muita paciência. Pois bem, as mulheres dispensam o chicote, apenas precisam de uns pedaços de “carne” e muita, muita paciência para domarem a sua fera.

Todos sabemos que regra quase geral os homens estão sempre sedentos por sexo. As mulheres durante o namoro também. No casamento é muito diferente, o seu apetite sexual vai diminuindo com o passar dos anos. Depois fazem depender esse seu desejo sexual da satisfação de certos caprichos do seu dia-a-dia por parte do seu companheiro.

O homem como não passa sem dar umas quecas, pouco a pouco vai cedendo terreno e vai sendo domado. Ora no circo é preciso emoção para atrair público. Quando as feras ficam demasiado mansas o espectáculo perde emoção e o domador tem de arranjar outras feras mais selvagens para conquistar de novo público. Com as mulheres é igual, quando já tem o seu príncipe Leão completamente domado este deixa de ter interesse e partem para outra.

Depois temos o caso dos príncipes Leões que não estão dispostos a serem domados e que não abdicam de serem selvagens. Só quando se consegue encontrar um ponto de equilíbrio entre domador e fera é que o casamento dura.

As observações podem parecer muito frias, calculistas e até machistas mas não são, trata-se apenas da lei da oferta e da procura e quando a procura é maior que oferta quem tem esse “bem” tem o poder. As mulheres tem esse poder, que se o souberem usar poderão domar a mais selvagem das feras, só que geralmente não o sabem fazer, tornam-se autoritárias, pedem "preços" demasiado elevados obrigando as feras a passar fome… e não há coisa pior que uma fera esfomeada, pode devorar tudo o que lhe apareça pela frente. Em relação ao autoritarismo todos os ditadores acabam por ser derrubados um dia, TODOS.

Já agora, vale a pena pensar nisto.

Façam o favor de serem felizes.
De: Princípe-Leão
https://c2.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/M3513d944/14817700_s3CMz.jpeg

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Carla 12.03.2008

    Devo avisar-vos que o descontrolo hormonal, pode dar para os dois lados: ausência de apetite ou excesso de apetite. Por acaso, durante e após a minha gravidez, quase matei o meu ex de exaustão. No quarto mês de gravidez, numa ida rotineira ao ginecologista/obstetra ele perguntou: "Ela está que não aguento´! É normal?" O meu ginecologista respondeu-lhe que sim e que ele teria de ter paciência.....e assim foi (tadinho) e só normalizei quando parei de dar de mamar-1 ano depois do parto.

    O sexo sempre foi uma parte importante das minhas relações, mas também é verdade que não consigo fazer jogo de poder com isso. Não consigo usar o sexo como arma...não consigo...basta uns beijinhos e lá vou eu. Mas, também é verdade que não consigo sentir desejo por um gajo que acabou de ser estúpido, bestóide ou afins comigo. E o estúpido ou bestóide aplica-se muitas vezes no dia-a-dia e nas coisas práticas. E gajo que gosta de sexo comigo e que gosta de mim, também gosta de me ajudar quando eu estou até às orelhas com tarefas caseiras, a fazer o jantar, a ajudar o miúdo com trabalhos de casa e a fazer as camas que não houve tempo para fazer de manhã. Porque se o gajo que está comigo não for capaz de ver que preciso de ajuda, que estou atarefada demais e que sou um ser humano com limitações como ele, então não há tesão que resista e de seguida não me apetece sexo. Apetece-me mandá-lo à mãe e pedir-lhe a chavinha de casa.

    Acordem, se faz favor porque já vai sendo altura. As mulheres Portuguesas continuam a ser as mulheres que mais horas trabalham e menos horas dormem da europa. Os senhores Portugueses não são nem mais nem menos que os outros tótós todos da europa que até ajudam as mulheres e de que maneira.

    Não conheço mulher nenhuma (felizmente) cujo sonho de infância fosse ser dona-de-casa. E já agora, pensem nisso...
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.