Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma divorciada

Diário de uma divorciada

18.Abr.17

Desengano

AL
" Só sobrou uma palavra. É a última. Adeus. Já não tenho mais, para ti já não tenho mais. Sou absolutamente muda. Tinhas frio e eu inventava o verão, medo e eu inventava coragem, sede e eu inventava água, estavas cansado e eu inventava umas asas para te levar céus afora. Preferiste o inverno, preferiste a cobardia, preferiste não beber em mim, preferiste ir a pé para tão longe. Querias o meu corpo e eu dava-te o meu corpo, querias outras e eu dava-te o meu corpo, querias (...)
07.Abr.17

A Viagem

AL
      O sonho era monótono: O comboio partia, partia e partia… E tu ficavas. Ficavas á espera não sei de quem Mas lembro-me Que do meu peito jorrava o sangue (tinhas-me ferido!)   E o comboio partia, partia e partia… E eu seguia, Não sei para onde era a viagem Mas, finalmente, parei E desci numa terra onde os muros eram brancos (altos e brancos!)   E o comboio parou, e depois partiu E o meu olhar perdeu-se no teu, E o teu sorriso brotou, E estendeste-me a mão, E o meu sangue (...)
03.Abr.17

E agora a felicidade!?

AL
  Felicidade. Um tema que, para muitos, soará a filosofia de almanaque sem, mesmo, compreenderem bem porque foi o assunto para aqui chamado. Pois. É que, mesmo sem nos darmos conta, andamos constantemente a correr atrás da Felicidade qual asno a tentar alcançar a cenoura atada na ponta da vara. E procuramo-la, sobretudo, nas nossas relações com os outros (o que não é descabido, pois a interação social é necessária para cultivar a plenitude) mas a magia não é essa. A magia (...)
29.Mar.17

Os homens não dizem adeus...

AL
"Refrão"     Foram outros olhos que me olharam  Com boca a condizer. Mentias doce, na ansia de amar Sem o saberes já não eras tu. Pensavas que sim, que tudo se transformava em ti, o poder do amor a pegar te na mão e tu a voar nas minhas, confiante que era mesmo assim que as coisas deviam de ser. E quando eu te estranhava porque aos poucos eras mais tu, estranhavas por isso também, perplexa por ser eu. Dos dias de riso com tristes intervalos foste invertendo essa coda. E tonta (...)
28.Mar.17

Mas depois há os filhos...

AL
Quando alguém decide divorciar-se (ou mesmo quem não decide e se vê forçado a aceitar) nunca sabe extamente o que vem a seguir. Tenta seguir-se em frente porque "em frente é que é o caminho", mas nesse deserto, mais ou menos povoado, não há placas a indicar a distância que falta até se chegar à meta. Quando existe uma meta, porque também é verdade que há quem se meta à estrada sem se importar em chegar a lugar nenhum pois tudo o que quer é fugir, libertar-se, livrar-se de (...)
13.Fev.09

Até enjoa!

AL
  Para quem está só, o dia dos namorados é, provavelmente o pior dia de festa a seguir ao Natal. Ainda por cima este ano calha a um Sábado, o que é uma agravante, pois durante a semana a malta está a trabalhar, chega a casa cansada e até se esquece da quantidade de totós com ramos de flores com quem se cruzou à hora de almoço. Uma pessoa que sociabilize minimamente no dia mais ridículo do ano acaba sempre por sentir-se constrangida, como se estivesse à margem. Ir às compras, (...)
13.Jan.09

Dias Felizes

AL
Estive uns tempos fora a descansar e a arejar as ideias mas já estou de volta. Foram umas férias muito precisadas e (acho que) bem merecidas.   Às vezes recarregar baterias é necessário. Seguir em frente, sempre, mas por vezes há que voltar um pouco atrás para perceber onde íamos exactamente para retomar o fio à meada. De forma que aqui estou eu, conta-kilómetros a zero, pronta para mais um ano, mais um passo, mais um pouco de luz no meu/vosso caminho.   O meu gato engordou, o (...)
24.Dez.08

Natal

AL
  É de novo Natal; a neve já caíu na serra a anunciar o frio que nos faz procurar o aconchego do lar. As luzinhas coloridas continuam a piscar nas janelas das casas de família; naquelas para quem o Natal é a magia dos presentes, mas também a união, a festa da confraternização. O Pai Natal barbudo está mais magro este ano, devido à crise. Mas a crise não pode ser tão má ao ponto de deixar de haver Natal. É claro que vai haver Natal! E um Natal com um pai rejuvenescido, (...)
24.Nov.08

Em nome do Pai...

AL
  Há palavras que transportam em si um poder indestrutível, uma ideia incontestável; que encerram um sentido absoluto, sagrado, até. A palavra “pai” é uma delas, assim como a palavra “mãe”. Tanto uma como outra, são compostas por três letras; tanto uma como outra, emanam uma grandiosidade plena e encerram nelas uma noção de obrigação moral inata: “Deus é Pai”, “não há Pai para ele”. Pai é força, é guia. Mãe. Mãe é dor, (...)
11.Nov.08

Associação Virtual de Divorciados

AL
  Este blog existe há já algum tempo. Aqui chorei, desabafei, ri, partilhei, escutei e aprendi... Através deste espaço, comecei a dar-me conta que, afinal, a minha realidade era comum a muita gente. O divórcio é um percurso que começa dentro do próprio casamento e se arrasta até muito depois de ocorrer a separação efectiva. Normalmente, culmina na sensação pessoal de liberdade, alívio e até um certo orgulho. Mas demora tempo, por vezes demasiado tempo, até se chegar ao (...)