Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma divorciada

Diário de uma divorciada

22.Set.08

Amar de olhos abertos

AL
Noutros tempos, uma mulher sofria um desgosto de amor e oficializava o seu estado de solteirice fechando-se num convento, a rezar e a procurar consolo nos braços imaginários de um Deus que tudo perdoa, fugindo assim ao estatuto de solteirona. Hoje em dia, continua no mercado como material em segunda mão à espera de uma nova oportunidade para sonhar e ser feliz ao lado de alguém.   Acerca da capacidade de uma pessoa voltar a apaixonar-se depois de enfrentar a realidade a sangue-frio, (...)
12.Jun.08

Famílias Monoparentais: petição

AL
Queridíssimos e queridíssimas leitores e leitoras,   Nem imaginam... é que nem fazem ideia do que me chegou hoje ao mail!! Eu conto, eu conto:   Todos nós sabemos (principalmente as mulheres) que uma das principais dificuldades que enfrentamos após um divórcio ou separação é o facto de nos tornarmos chefes de uma família monoparental, o que nos deixa bastante condicionadas a todos os níveis, e mais ainda porque não temos qualquer tipo de apoio. Pois vamos tentar mudar isso, (...)
03.Jun.08

Sobreviver aos primeiros tempos

AL
  Uma situação de ruptura é sempre problemática. Por mais que uma pessoa tenha planeado e esteja ansiosa por recomeçar a viver, os primeiros tempos são sempre de um certo desnorteamento. A pensar nisso, resolvi deixar-vos algumas dicas, uma espécie de manual de sobrevivência que poderá ajudar-vos a ultrapassar a crise inicial: 1. Não façam do vosso divórcio a manchete do século. Procurem não andar a dar satisfações a toda a gente acerca do acontecimento. A não ser a (...)
30.Mai.08

Choques de estados civis

AL
  É incrível o tipo de sentimentos e impressões que uma mulher independente pode provocar na comunidade casada. Eis duas situações pelas quais já passei (mais do que uma vez):     1ª  - Maridos de amigas a torcer o nariz cada vez que a sua esposa combina alguma saída a solo com a sua companheira solitária (eu).   2ª  - Estar com um casal em que ela passa  todo o tempo colada ao respectivo ou acode a correr quando o “apanha” a conversar comigo sem  ela por perto.  
20.Mai.08

Divórcio em Portugal/A condição da mulher

AL
O Diário de uma divorciada lança um olhar sobre a evolução da condição da mulher no casamento, ao longo do último século (para que não pensem que o caminho tem sido fácil):   1910    Lei do Divórcio (Decreto de 3 de Novembro de 1910). O divórcio é admitido pela primeira vez em Portugal e é dado ao marido e à mulher o mesmo tratamento, tanto em relação aos motivos de divórcio como aos direitos sobre os filhos (1.º passo! Já não é mau de todo) Novas leis do (...)
19.Mai.08

O lugar do ex

AL
  O casamento deixou-me com uns hábitos muito estranhos. Não percebo porque raio é que ainda hoje, passados que são meia dúzia de anos desde o divórcio, continuo a dormir no “meu” lado da cama!? Pior: como fiquei a viver na mesma casa onde vivi enquanto estive casada, continuo a sentar-me no “meu” lugar à mesa e a ocupar, com os meus objectos pessoais, a “minha” gaveta no móvel da casa de banho. O lugar do meu ex é no passado, ponto. Sobre isso (...)
07.Mai.08

Manual da Mulher Resolvida (e dos homens indecisos)

AL
Esta preciosidade veio parar-me às mãos e eu seria egoísta se não a partilhasse convosco. Com algumas pequenas adaptações feitas por mim, aqui está o que é (para que conste e não restem dúvidas): “Se ele estiver interessado, ele liga É isso mesmo! Quando um homem está mesmo interessado, não existem projectos importantes, morte da tia ou filas de trânsito que o impeçam de te convidar para sair! Passou-se uma semana e não tens notícias dele? Esquece! Parte para outra! (...)
30.Abr.08

Política, politiqueiros e sapatos de berloques

AL
Esta semana renunciei oficialmente ao meu cargo de membro da Assembleia de Freguesia. Recomeçaram os exames da universidade e não me sobra muito tempo nem pachorra para politiquices.  A minha carreira de quase deputada não foi muito longa. Ainda assim, sempre deu para aprender algumas coisas: assisti a uma ou duas reuniões, andei a agitar bandeirinhas nas últimas autárquicas, angariei votos para o meu amigo candidato a presidente, calcorreei bairros pobres, emprestei a minha imagem (...)
22.Abr.08

A sangue frio

AL
A primeira vez que uma pessoa sofre uma desilusão de amor, a primeira vez que uma pessoa é rejeitada e sente o duro golpe do abandono, fica atordoada... não sabe muito bem o que a atingiu, apenas se sente ferida e a sangrar... Atrás do golpe, as dúvidas: que fiz eu? O que deveria ter feito? Será que não sou suficientemente boa ou bom?   Com o tempo, muito tempo depois, a pessoa quase recupera, mas carrega consigo o machado que a atingiu e percebe que é uma arma demasiado pesada. (...)
18.Abr.08

Porque eu mereço

AL
Desengane-se quem julga que aqui vem ler confissões reveladoras sobre o meu presente. Normalmente, só consigo expor cá para fora as coisas sérias que acontecem comigo após um razoável distanciamento temporal e circunstancial, em tudo à semelhança do que se passa com todas as pessoas que têm um ex nas suas vidas. Um ex só nos dá o devido valor quando percebe que nos perdeu. Não sei se é o mesmo com toda a gente, mas pelo menos comigo é assim. Ainda ontem fui surpreendida (...)