Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma divorciada

Diário de uma divorciada

27.Out.08

Divórcio: fuga ou alternativa?

AL
  A leitura das estatísticas pode levar, pelo menos quem está de fora, a encarar o divórcio como um fenómeno banal, uma medida moderna usada como resposta automática a qualquer crise conjugal. Espero sinceramente que esta seja uma leitura errada. Não sou defensora do casamento a qualquer custo, pelo contrário, considero que não faz sentido, especialmente nos dias que correm, as pessoas viverem infelizes seja sob que pretexto for. Não obstante, ainda acredito na família como um (...)
22.Out.08

Divorciada Pobre ou Mal-Casada Rica?

AL
  Com a nova lei do divórcio o famigerado “golpe do baú” tem os dias contados, o que pode ser interpretado como boa ou má notícia para quem ainda considerava a hipótese de ter em conta a situação financeira dos seus eventuais pretendentes como critério para arranjar marido. Estava capaz de garantir, quase com 99% de certezas, que era esta a ideia em mente dos senhores que propuseram esta alteração específica à lei vigente, à par de uma outra bastante mais (...)
14.Out.08

Amor, paixão ou... o quê?

AL
  Devem ser muitos poucos os felizardos que conseguem viver eternamente apaixonados. Eu não sei se conseguiria viver eternamente apaixonada, mesmo que conseguisse desenvolver essa “capacidade” seria demasiado vertiginoso! A questão é polémica: afinal, o que será realmente o amor romântico ou a paixão? Muitos sabem-no. Eu sei-o, cada um de nós, à sua maneira sabe-o (ou pelo menos já o soube, em determinado momento). A questão não é: (...)
07.Out.08

Divorciada, sim. E então?

AL
Eu sei, eu sei que tenho andado um bocadinho ausente aqui do blog. E não, não deixei de ter que contar e também não dei de caras com o príncipe encantado. Aliás, mesmo que desse, não andava por aí a apregoar ao blog inteiro, que eu sei que há por aí muita nina à espreita para lhe deitar a unha (tá bem, abelhinhas!).   Bom, então como eu ia dizendo (cof, cof e disfarço), pois tenho andado a escrever menos aqui no Diário mas (e podem interromper aí mesmo esse suspiro (...)
29.Set.08

À espera de ti...

AL
  Eu era apenas uma miúda quando te conheci, a cabeça cheia de sonhos e a ingenuidade própria de quem acha que pode mudar o mundo. Não mudei o mundo, mas o meu mundo mudou ao cruzar-me contigo. A porta estava destrancada, só tiveste que empurrá-la um pouco para te fazeres anunciar. Passaste por acaso (ou talvez não), mas nas minhas convicções mais profundas, tu chegaste porque te esperava (sim, porque havia muito que te chamava, mesmo sem saber quem eras). Sempre fui muito (...)
22.Set.08

Amar de olhos abertos

AL
Noutros tempos, uma mulher sofria um desgosto de amor e oficializava o seu estado de solteirice fechando-se num convento, a rezar e a procurar consolo nos braços imaginários de um Deus que tudo perdoa, fugindo assim ao estatuto de solteirona. Hoje em dia, continua no mercado como material em segunda mão à espera de uma nova oportunidade para sonhar e ser feliz ao lado de alguém.   Acerca da capacidade de uma pessoa voltar a apaixonar-se depois de enfrentar a realidade a sangue-frio, (...)
16.Set.08

Deitar contas à vida de divorciada

AL
  Há momentos em que não critico as mulheres que decidem manter-se casadas por questões financeiras, especialmente quando há filhos; não as critico e até as compreendo. A liberdade paga-se cara, a começar pelo processo de divórcio, e apesar de se apregoar muito a igualdade de oportunidades, o facto é que os nossos salários, regra geral, ainda estão muito aquém dos deles. E depois a questão dos filhos ficarem quase sempre a nosso cargo (independentemente dos motivos) não nos (...)
15.Set.08

Jantar do Clube!

AL
O primeiro jantar do Fórum foi um sucesso.   Foi com satisfação que me dei conta de pessoas que se deslocaram do norte e sul do país para se reunirem à volta de um mesmo estado civil. De resto, havia membros que já se conheciam pessoalmente e onde se denotava uma grande cumplicidade, como se de amigos de longa data se tratassem. O jantar estava óptimo e a noite prolongou-se madrugada fora. Foi, sem dúvida, uma experiência (...)
04.Set.08

Família pequena, grandes algazarras

AL
  Lá em casa vive uma bola peluda com quatro patas e um par de olhos que anda a deixar-me com os nervos em franja. Ele é pêlos por todo o lado e eu já ando cansada de passar a vida a escovar e a limpar tudo. A minha filha, que é oficialmente a dona do bichano, convive com ele como se de um irmão mais novo se tratasse: brinca, ralha-lhe e… é tudo. Obviamente que a pior parte tem que sobrar para alguém que, por exclusão de partes, vê-se logo para quem! Já pensei dar um (...)
29.Ago.08

Há sonhos que chegam a realizar-se...

AL
Esta é a canção que dedico ao meu amigo Carlos Lourenço, que conseguiu, finalmente, realizar o seu sonho de tantos anos: ir viver para Cabo Verde, o país das suas origens, depois de tanto tempo preso nas burocracias, na intolerância e no meio do betão, a que nunca se adaptou:   “Um dia a areia branca seus pés irão tocar E vai molhar seus cabelos a água azul do mar Janelas e portas vão se abrir p’ra ver você chegar E ao se sentir em casa, sorrindo vai chorar   Deba (...)