Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário de uma divorciada

Diário de uma divorciada

07.Abr.17

A Viagem

steam-railway-1938519_1920.jpg

 

 

 

O sonho era monótono:

O comboio partia, partia e partia…

E tu ficavas.

Ficavas á espera não sei de quem

Mas lembro-me

Que do meu peito jorrava o sangue

(tinhas-me ferido!)

 

E o comboio partia, partia e partia…

E eu seguia,

Não sei para onde era a viagem

Mas, finalmente, parei

E desci numa terra onde os muros eram brancos

(altos e brancos!)

 

E o comboio parou, e depois partiu

E o meu olhar perdeu-se no teu,

E o teu sorriso brotou,

E estendeste-me a mão,

E o meu sangue secou…

 

E o comboio que partiu,

Seguiu…

Sem nós.

 

 

                                                                   

Ana Leandro in "A Estrada do Nada".

Manuscrito (17/01/1991).