Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma divorciada

Diário de uma divorciada

30.Mai.08

Choques de estados civis

 

É incrível o tipo de sentimentos e impressões que uma mulher independente pode provocar na comunidade casada. Eis duas situações pelas quais já passei (mais do que uma vez):
 
 
1ª  - Maridos de amigas a torcer o nariz cada vez que a sua esposa combina alguma saída a solo com a sua companheira solitária (eu).
 
2ª  - Estar com um casal em que ela passa  todo o tempo colada ao respectivo ou acode a correr quando o “apanha” a conversar comigo sem  ela por perto.
 
Estou mesmo a imaginar o tipo de filmes que passarão naquelas cabecinhas: eles a achar que me tornei uma predadora libertina e a sentir medinho que isto se pegue e que eu contagie as suas fiéis companheiras; elas, como se mantêm  casadas, a imaginar que as invejo ou que tenciono roubar-lhes o papel (ou o marido) à primeira oportunidade.
 
E não, isto não é mania da perseguição. Não tenho a culpa de ser sensível às inseguranças alheias…
 
Ora, como não me preocupo em  ter que provar nada  a ninguém, muito menos pretendo fingir-me um ser assexuado apenas pelo facto de me manter livre (era o que faltava!) prefiro eleger para companhia das jantaradas e demais eventos, pessoas soltas e com as ideias limpinhas.
 
Os outros que se mantenham trancados nos seus mundinhos e deixem  o resto para quem sabe aproveitar!
 

25 comentários

Comentar post

Pág. 1/2