Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma divorciada

Diário de uma divorciada

15.Mar.08

Testemunhos XV

O meu nome é Dulce, tenho 33 anos e sou divorciada.
Namorei durante 7 anos e estive casada 5.
 
Sempre achei que ele não era homem para mim, assim como todas as pessoas que nos conheciam, especialmente porque sempre fui uma pessoa com muita vida, alegria e muitos amigos e ele sempre foi muito apagado. Casei-me com ele por achá-lo um bom rapaz, diferente dos outros que já tinha conhecido até então e, acima de tudo, por ele me amar loucamente, de tal forma que se eu o deixasse ele se suicidaria.
 
Não posso queixar-me de maus tratos físicos ou psicológicos. Na realidade, nunca pude queixar-me de nada a não ser do facto de sermos completamente diferentes a todos os níveis, eu gostava de conviver ele gostava de estar em casa agarrado ao computador, (cheguei a dizer-lhe várias vezes que a amante dele era o computador).
 
Ao fim de 4 anos de união, quando a nossa situação económica estava mais ou menos estabilizada, decidimos que era chegado o momento de sermos pais. Nessa altura ele andava a tirar a licenciatura por meu incentivo (sempre o incentivei a subir na vida, em todas as questões). Acontece que passei um gravidez de risco e senti-me completamente sozinha, sem apoio da parte dele pois estava sempre ocupado com as tarefas da escola.
Dei entrada no hospital devido à pré-eclâmpsia, onde estive uma semana internada até resolverem provocar-me o parto e mais uma semana depois do parto pois o meu filho estava com os níveis do açúcar em baixo. Durante essas duas semanas no hospital apercebi-me que ele estava completamente diferente, distante que estava ali de corpo presente mas a sua mente andava longe.
 
Quando regressei a casa perguntei-lhe o que se passava e o porquê dele estar tão distante ao que ele me respondeu que não se passava nada. Como a sua atitude não mudava, todos os dias eu insistia em saber o que se passava. Não precisei de esperar muito até sentir o meu mundo a desabar. Apenas dois dias...
 
Aquela pessoa que me amava e que nunca me apontou o dedo em nada, já não me amava mais e passei a ser toda defeitos. Perguntei-lhe se tinha alguém. Ele negou, mas eu acabei por descobrir que ele tinha uma amante havia duas semanas (desde que eu fora para o hospital)! Liguei-lhe e simplesmente lhe disse 'Logo, quando chegares a casa vais fazer as tuas malas e vais-te embora' .
 
Passado 4 meses estávamos divorciados. Já se passaram 8 meses e eu estou muito bem, sinto-me viva com força para conquistar o Mundo. Dou graças por ter os amigos que tenho, todos me apoiaram muito, são o sol da minha vida.
 
Claro que passei por momentos muito difíceis, pois tive um parto de risco devido à tensão alta e durante algum tempo continuei assim; só chorava dia e noite e o meu filho apenas com poucos dias não teve uma mãe presente.
 
Mas tudo na vida se resolve apenas precisamos de ser positivos e eu nunca me senti tão bem na vida, tão bem comigo mesma.
 
Obrigada e muitos beijinhos para esta amiga que também é o meu sol.
Dulce Nunes
 

4 comentários

Comentar post