Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma divorciada

Testemunhos: II

Chamo-me C., tenho 34 anos, dois filhos e sou divorciada.
 
Tudo começou quando descobri que não conseguia mais suportar ser o elo mais fraco do casal. Casei com 19 anos e levei comigo para iniciar essa vida de casada uma mala cheia de sonhos. Achei que podia ser feliz. E para isso cedi em tantas coisas, desisti de tantos sonhos individuiais em prol de um maior: o sonho de ter um casamento feliz. Durante anos achei que todos os sacrificios valiam a pena, mas um dia comecei a sentir que não. Senti que me anulei e afinal não era reconhecida. Tinha deixado demasiado para trás: o sonho de estudar, os meus amigos, tive que mudar radicalmente a minha maneira de vestir, tive que deixar de fazer as coisas que gostava porque não havia dinheiro, tive que me mostrar antipatica muitas vezes para não ter problemas com o meu ex. Aturei horas de videojogos, aturei muitas saidas com os amigos, aturei varias mudanças de emprego, aturei as birras porque tinha que ter um pc novo, aturei as noites que ele nao estava porque estava muito ocupado no cyber cafe a jogar com os amigos, aturei muitos ataques de ciumes, muitos ataques de prepotencia...E um dia, depois de ter passado meses a remoer os ressentimentos e a pesar tudo na minha balança imaginaria, e o meu ex marido ter dito aos miudos que eu nao gostava dele e por isso é que estava tudo mal entre nos, chamei-o e no mesmo dia pedi-lhe que saisse de casa. Foi no dia 19 de Outubro de 2004. Até hoje nunca mais dormiu sequer na mesma casa que eu.
 
Foram muito dificeis aqueles tempos. O meu ex não aceitava a ideia do divorcio. Os miudos andavam tristes e eu sentia-me culpada por isso. Não tinha nenhum amigo, ja niguem me cumprimentava sequer. Andava triste, angustiada, desanimada. Sentia-me falhada. Ja tinha iniciado um tratamento a uma depressão e em vez de melhorar só piorava. Não acreditava na vida. Estava sobrecarregada com as contas. Olhava as coisas em casa, a cadeira vazia ao jantar, a cama vazia e só perguntava o porquê de ter que acontecer comigo. Porque tinha esta familia de terminar? Estava tao desiludida que nem podia acreditar que era eu aquela pessoa. Emagreci 12 quilos,. Estava no fundo do poço. Mas ao mesmo tempo sabia que era esse o unico caminho a seguir.
 
Hoje estou bem. Fico triste muitas vezes porque a solidão doi. Ja me relacionei (será que posso dizer namorei? Ja nao sou solteira...) mas os homens vêem uma divorciada e tem duas atitudes: ou gostam da mulher, mas nao ligam aos apendices e isso esta fora de questao, tem que gostar dos meus filhos e muito,  ou olham para mim e veem uma mulher sozinha, logo carente de sexo, logo uma aventura em potencial e nada mais. Por isso, muitas vezes nem deixo que se aproximem de mim. Mas estou bem, mantenho o meu emprego ha 13 anos, estou quase a terminar o 12º ano a noite com bons resultados, tenho o meu cantinho com os meus filhos, somos uma familia de 3, mas com muito amor e carinho. Tenho que enfrentar muitos problemas sozinha com a educaçao dos meus filhos, ter um filho adolescente nao é facil, mas somos unidos e estamos bem, e nao vou deixar que ninguem venha estragar a harmonia que conseguimos a custa de muito esforço.
 
Para o futuro desejo apenas ter força para suportar os problemas que hao-de vir. Ter dias felizes, ter o amor dos meus filhos. Gostava de ter um amor sincero, de voltar a sentir uma festinha meiga na cara, de andar de mao dada. Mas nao faço disso prioridade. Estou de bem comigo mesma. Nao quero nenhuma relaçao mediocre. Prefiro chorar sozinha a noite quando os miudos se deitam por sentir a solidão, do que chorar por estar com alguem que nao me merece. Depois de tres anos sozinha, ja deu para entender que estar sozinha nao é tao mau assim. Ha muitas coisas na vida que nos trazem felicidade, nao é so o casamento. E na verdade, o casamento no seu verdadeiro sentido, de ser uma vida a dois de amor, partilha, respeito e companheirismo é uma utopia, logo, nao é o casamento vulgar que me faz falta...
 
Não me posso alongar mais, embora houvesse muita mais para dizer, mas isto é um post e nao um romance.
 

15 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D