Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma divorciada

Diário de uma divorciada

16.Out.07

Doce Solidão

Não gosto de ter muitos pretendentes. Quando há muito por onde escolher, uma pessoa perde-se, fica confusa e desiste!
 Ela há sempre quem se aproxime de uma mulher só pelas mais variadas razões. A mim já me apresentaram algumas:
- Vontade de reconstruir a vida
- Vontade de procriar (sim, é verdade!!)
- Sexo/Aventura
- Amor
- Paixão
- Experimentar a ver o que dá
E por aí fora…
É, pá, canso-me! Canso-me como se cansam as crianças que têm muitos brinquedos e ninguém para brincar; canso-me como um passarinho já velho, farto de acarretar paus para o ninho que um menino malvado acaba sempre por derrubar; canso-me como o sol no fim do Verão.
Tenho o direito ao meu cansaço; a não me dar ao trabalho sequer de dizer sim ou dizer não; o direito a não me justificar; o direito à minha solidão…
Por isso, agora, não quero promessas, quero paz…
Não quero ilusões, quero razão…
Não quero tentativas, quero desfecho…
Não quero palavras, quero actos...
Não quero rosas vermelhas, quero plantar o meu próprio jardim…
E não quero pretendentes, quero-me apenas e só, a mim!

3 comentários

Comentar post