Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma divorciada

Diário de uma divorciada

03.Out.07

Solidariedade Feminina

A Sandra é das minhas amizades mais antigas. É uma daquelas amigas que, ainda que estejamos meses sem nos vermos, sabemos que quando uma de nós precisa, a outra está lá.
No mês passado ligou-me a contar as novidades: dizia que tinha conhecido uma pessoa fantástica e que o namoro já ia a caminho dos seis meses. Parece que, finalmente, tinha encontrado a sua estabilidade emocional, após muitos dissabores e um ou outro acidente de percurso. Parecia-me feliz, dizia-me que nunca tinha estado numa relação assim e que pela primeira vez na vida se sentia ela própria. Nesse fim de semana tive a oportunidade de conhecer o senhor responsável por aquele milagre: uma pessoa distinta, madura, com personalidade. Pelo menos foi o que me pareceu… Fiquei muito satisfeita. A Sandra já merecia. Mais do que ninguém!
Ligou-me ontem a chorar como uma Madalena. As palavras mal lhe saiam:
- O que é que se passa, amiga? – Pergunto-lhe.
- Ele pediu-me um tempo! Sem mais nem menos deixou de aparecer, de telefonar e, quando fui ter com ele a pensar que poderia ter-lhe acontecido alguma coisa, ele disse-me que andava muito ocupado e que não tinha disponibilidade para mim. Pediu-me um tempo…
- Mas, o que é que se passou? Tens a certeza que não lhe disseste ou fizeste nada que o magoasse?
- Tenho. Quer dizer… não sei, acho que não!! Eu não sei, percebes? Não sei… Só sei que não estava à espera disto. Juro que não estava!! Corria tudo tão bem! Nunca pensei…
- Calma, amiga!! Achas que ele pode ter deixado de gostar de ti?
- Pior do que isso: acho que ele nunca gostou verdadeiramente de mim. Eu é que me iludi! Quando lhe pedi que me explicasse exactamente o que se passava, ele baixou a cabeça e disse-me apenas: “desculpa, enganei-me”!
Eu a conter a raiva para não explodir! Só me apetecia ligar ao dito cujo e dizer-lhe das boas, mas isso também seria estar a dar-lhe importância demais. Contive-me.
 - Olha, tenho um programa fantástico para este Sábado. Vamos comprar uns trapitos, jantamos juntas e depois levo-te a um sítio espectacular! Tenho a certeza que vais gostar. Estás a precisar é de te distrair!
Nem me ocorreu nada melhor para lhe dizer. O gajo enganou-se!?? Mas que merda de conversa!?! Então mas isto é como quem manda uma carta para a morada errada!??
E que história é essa de pedir um tempo a alguém!? O tempo não se pede, desfruta-se, aproveita-se!! O homem quer um tempo!? Ok. Dá-lhe mas é a eternidade toda para ele se arrepender da pessoa fantástica que perdeu!
E outra: porque e que há pessoas que se afastam sem se darem ao trabalho de dar uma explicação à outra? Não era suposto ser o mínimo? Falta de chá!! Cobardolas, pá!
Bem, eu também me enganei em relação ao personagem e parece que a minha amiga Sandra ainda mais… Acontece!
Deixa lá miga, ainda bem que ele se revelou a horas. Só tens é que sentir-te agradecida. Menos um falso no teu caminho. Ok?
E raios me partam se eu na Sexta não te estou a tocar à campainha logo de manhã para te por em sentido!;)

5 comentários

Comentar post