Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma divorciada

Diário de uma divorciada

17.Jul.07

Por falar em Amor...

Amar depois de se sofrerem umas quantas desilusões torna-se uma tarefa quase impossível; já não há pachorra para os traumas do outro que chocam com os nossos, já não há a mesma capacidade de entrega, com o tempo os relacionamentos tornam-se estéreis.
Amar depois de crescer à custa de muito sofrimento que uma ou outra relação nos provocou já não é a mesma coisa. A ingenuidade vai-se e com ela a nossa capacidade de nos deslumbrarmos, de nos deixarmos encantar pelo outro.
Para mim o amor resume-se a um miminho todos os dias (nem que seja um sms a desejar bons sonhos) e a um desejo imenso de estar com o outro, de lhe tocar e sentir reciprocidade. Sem chama inicial, os amores maduros arrefecem mais facilmente.
Três meses é o tempo médio que dedico a alguém para decidir se vale a pena. Normalmente não vale. Ou eu tenho muito azar ou sou muito exigente, mas tal como diz um amigo meu pelo menos tento...

8 comentários

Comentar post